terça-feira, 31 de julho de 2007

SERÁ AMOR A POESIA



Em cada tentativa,
Em cada verso,
Em cada Parede,
Em cada fragmento...
Ouço baixinho um grito de sussurro dentro de mim.
Em uma janela do tempo...Infinito e vasto.
O amor se vê...Jamais direi que te esqueci...
Amo sozinho, coisas que cavei em noites infinitas que por aí encontrei...
Bate forte...Estrondoso...
Pego meu coração pela boca e o parto em estrelas...
Estrelas...Sorrisos! São as batidas de um coração apaixonado...
Uma vela ilumina a escuridão que por lá já não está...
Brilho perdido toma um rumo diferente...
Os encaixes voltaram a se unir harmoniosamente...
Como um som angelical de arpas...
Trovões bravejam o meu peito,
Miro coisas com convicção...
As contas se tornam simples adições;
Que subtraem da mente todas as divisões...
Amor, tristeza...POESIA!!!
Tudinho junto em um momento que a separação se une...

11 comentários:

  1. Lindo Marcelo.
    A separação que une.......gostei disso.
    bjs.

    ResponderExcluir
  2. O teimoso poeta que não desiste dessa arte insana.
    ;)
    Bjs.

    ResponderExcluir
  3. Coisas do coração que se deixa levar pela dança que é tocada pelo outro. Coração bôbo, coração leão, coração bufão. Tudo é possível quando se segue o rítmo frenético, insano e sensível dessas cordas.
    Beijos de sua mãe que torce para que você encontre a harmonia ideal para dar rítmo a seu coração.
    Marta.

    ResponderExcluir
  4. Querido neto;Gostei da tua inegável veia poética, embora eu esteja aqui num lugar pouco poético,que é a ASAPORTOS, entidade de portuários aposentados. Semana passado fui ao primeiro encontro de um novo evento poético carioca, no teatro da Fculdade stácio de Sá, em Copacabana, dednominado "Mundo da Lua", com poesias e MPB. foi muito bom, declamei o Poema da Corrupção e Chavez não é Lula. Fui aplaudido, embora não seja com o aleijado Lula, que tem orelhas diferentes, uma para cada tipo de barulho. Nãzo sei se éexagero de avÔ, mas o fato é que vi em alguns poemas teus o belo estilo do Vinicius. Então, viva o meu neto vascaíno! Beijos do Arthur, que brevemente estaráxxxxxíái e

    ResponderExcluir
  5. Querido neto;Gostei da tua inegável veia poética, embora eu esteja aqui num lugar pouco poético,que é a ASAPORTOS, entidade de portuários aposentados. Semana passado fui ao primeiro encontro de um novo evento poético carioca, no teatro da Fculdade stácio de Sá, em Copacabana, dednominado "Mundo da Lua", com poesias e MPB. foi muito bom, declamei o Poema da Corrupção e Chavez não é Lula. Fui aplaudido, embora não seja com o aleijado Lula, que tem orelhas diferentes, uma para cada tipo de barulho. Nãzo sei se éexagero de avÔ, mas o fato é que vi em alguns poemas teus o belo estilo do Vinicius. Então, viva o meu neto vascaíno! Beijos do Arthur, que brevemente estaráxxxxxíái e

    ResponderExcluir
  6. Quando não sigo o rastro de algum comentário para chegar ao blog, costumo aventurar-me no caminho dos títulos (adoro títulos bonitos, também em livros, filmes, canções, e vou atrás dessa inusitada indicação sem me prender ao ditado de que nem tudo que reluz é ouro (risos)) e quase sempre me deparo com belos espaços como esse teu, cujo versejar encanta pelo encontro/desencontro de palavras que formam versos tão originalmente belos. Um espaço gostoso de se estar, de curtir, aceitando o convite (implícito no bom gosto) de voltar.

    Mãe e avô comentando? Que belo isso! Melhor incentivo não há! Corujismo? Não! Apenas a constatação de um lindo coração e uma iluminada alma (transpostos em poesia) num filho/neto querido.

    No teu perfil, a declaração de amor para a Lu, enternece. Gosto de pessoas que colocam o amor como a palavra maior do próprio dicionário. Que as asas da poesia sejam transporte mágico para que ambos estejam sempre a versejar no caminho das estrelas.

    De resto, é desejar que teus horizontes se alarguem à medida que tuas realizações o alcançarem.

    Deixo-te pétalas perfumadas de flores do campo, um beijo no coração (com licença da Lu), e votos de dias inundados de poesia.

    ResponderExcluir
  7. Oi, Marcelo, aqui é a Regina.
    Pois bem, gostaria de parabenizá-lo pelo seu blog. Gostei muito desse seu último poema escrito, assim como da poesia Novos Rumos.
    Parabéns, mais uma vez. Sucesso!
    Abraço,
    Regina.

    ResponderExcluir
  8. Marcelo, cadê os textos?
    Rum!
    Bom findi pra ti.
    Bjs.

    ResponderExcluir
  9. Marcelo,
    Adorei o seu estilo de expressar sentimentos tão profundos.
    Suas poesias são maravilhosas!
    Beijos da sua grande amiga.
    Neyde Nascimento.

    ResponderExcluir
  10. Palavras que tocam... Voltarei.

    Bj

    ResponderExcluir